Confinar novamente. Ajustar.

Nesta foto os barcos regressam da pesca num lindo final da tarde.

É um caminho conhecido, que todos os dias se repete e que por isso mesmo aquele pôr do sol não terá grande hipótese de ser realmente observado.

Sabemos já que vamos confinar. Todos achamos que já sabemos o que vai acontecer. A nossa memória vai ligar à experiência de Março e como algo repetido e conhecido, não vamos observar o que pode ser diferente ou o que está lá.

Nas minhas sessões, o cansaço deste lugar de retenção da vida, está muito visível na mente das pessoas que acompanho. A nossa saúde compromete-se quando queremos a vida duma forma que não é a que está a acontecer. Esta consciência pode aliviar a forma como vamos viver o próximo confinamento.

A perspectiva é a nossa grande ajuda nesse processo. Ampliar, ver mais do que a nossa própria história individual, acrescentar a capacidade de observar outras vidas/pessoas que nestas circunstâncias apenas gostariam de poder confinar e não podem, por motivos vários.

A frase é conhecida bem sei, mas nunca fez mais sentido: um dia de cada vez. Um momento de cada vez.

Trazer gentileza para este processo é a base da nossa saúde mental.

As sessões voltam a ser on-line.
Cá vos espero. 🌸

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *